Formação

ESCOLA DE ASA DELTA

Está aberta a admissão a alunos de Asa Delta para a temporada 2017/2018

As aulas decorrem aos Fins de Semana e feriados, sempre que a meteorologia o permite.
É OBRIGATÓRIO possuir Licença de Pilotagem emitido pela Federação Portuguesa de Voo Livre ou entidade internacional equiparável ( reconhecida pela FAI ).

A partir da Primavera de 2018 a escola “abandona” a instrução de iniciação e passará a lecionar “voo avançado em ascendente Térmica” sempre que possível em Castelo de Vide, Serra da Estrela ou Serra de Gredos em Espanha. 
Os Alunos deverão pois estar motivados e disponíveis para aproveitar TODOS os dias possíveis de instrução durante o Outono e Inverno para não comprometer a evolução no Curso 

A escola fornece:
– todo o material necessário à iniciação e progressão para os primeiros voos. 
– Transporte de/para a estação rodoviária mais próxima aos locais de instrução. www.rede-expressos.p
-Apoio/assessoria na aquisição do equipamento necessário à evolução após os primeiros voos. 
-Aluguer de Equipamento completo de voo para quem não pretenda/possa comprar conjuntos Asa/arnês

Para mais informações e acompanhar a nossa actividade contacte :
https://www.facebook.com/carlos.virgilio


ESCOLA DE PARAPENTE

Parapente é um aeroplano, em cuja asa (inflável e semelhante a um pára-quedas, que não apresenta estrutura rígida) são suspensos por linhas o piloto e possíveis passageiros. O voo de parapente é uma modalidade de voo livre que pode ser praticado tanto para recreio quanto para competição. Diferencia-se do pára-quedas: o parapente oferece um voo dinâmico, onde o piloto pode controlar sua ascensão e direcção, dependendo das condições meteorológicas como a velocidade do vento.

Equipamento

Asa É feito de materiais não porosos e impermeabilizados, para que o ar que entra não saia através do tecido, mantendo assim a pressão interna e inflada. Quanto mais horas de voo e exposição ao Sol, mais desgastado fica a vela, causando a perda da impermeabilidade e aumentando a porosidade, tendo assim uma diminuição da performance.

A asa varia de tamanho de acordo com o peso do piloto mais o equipamento, e para vôos duplos a área da asa pode aumentar em até 50% o seu tamanho.

     Células

São os gomos do parapente e variam de quantidade de um modelo para outro diferenciando assim a performance.

     Extradorso

É a parte de cima da asa.

     Intradorso

É a parte de baixo da asa onde se prendem as linhas.

     Bordo de ataque

É a parte da frente das células da asa onde se encontram as aberturas por onde o ar entra.

     Bordo de fuga

É a parte de traz da asa que é costurada para o ar não sair e onde as linhas dos manobradores atuam para que se possa fazer as curvas, através da deformação de um dos lados ou diminuir a velocidade atuando dos dois lados simultaneamente.

     Manobradores

São o principal controlo da asa de parapente que actuam no bordo de fuga.     Elevadores / Bandas

São as tiras que unem as linhas aos mosquetões. São classificados como Bandas A, B, C e D (do Bordo de Ataque para o de Fuga).

     Acelerador

É um dispositivo usado para encurtar a Banda A do parapente mudando o ângulo de ataque da asa para aumentar a velocidade.

     Linhas

São os fios do parapente que unem a asa aos elevadores /bandas.

     Mosquetinhos

Pequenos mosquetões que ligam as linhas às Bandas.

Selete

É a cadeira de vôo que acomoda o piloto.

Capacete

Item obrigatório de vôo, para proteção caso o piloto ou passageiro em um pouso forte bata a cabeça, arborize ou caia na decolagem.

Botas de voo

Geralmente tem proteção lateral para não torcer o tornozelo no caso de pousar forte ou caminhadas em terreno irregular.